Seu navegador não suporta JavaScript!

MPT Notícias

Filtro

Filtre matérias por:

Instruções de busca

Escolha qualquer combinação dos argumentos acima para encontrar Matérias do MPT posteriores à 21 de maio de 2015. Para matérias anteriores utilize as opções de ano/mês de Arquivo..

12/04/19 MPT na Paraíba

‘Rede’ oferece cursos gratuitos para refugiados na Paraíba

Com o objetivo de acolher e integrar refugiados e migrantes, um simpósio está acontecendo até esta sexta-feira, na sede do MPF, em João Pessoa

João Pessoa - Hayan Aldaas é advogado e Aiza Mercedes Flores é professora. Eles não se conheciam, mas há quatro meses vieram morar em João Pessoa e passaram a ter histórias parecidas. O sírio e a venezuelana tiveram que deixar seus países e agora têm sonhos iguais: trabalhar e reconstruir a vida na Paraíba. Justamente pensando em como acolher e integrar refugiados e migrantes como Hayan e Aiza, um simpósio está acontecendo até hoje, na Capital. Uma rede – com a participação do MPT, MPF e diversos órgãos – já foi criada para facilitar a capacitação profissional e a inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho.

Cursos gratuitos em pelo menos cinco instituições (Senac, UFPB, UEPB, Fundação Cidade Viva e Embaixada de Negócios) já começaram a ser ofertados a esse público. Desde agosto passado, a Paraíba recebeu aproximadamente 150 migrantes, a maioria venezuelanos. O Senac, por exemplo, tem cursos nas áreas de informática, gestão, saúde, beleza, moda, comunicação, gastronomia e turismo.

“Vim para o Brasil porque a Síria passa por uma guerra civil e chegamos ao ponto de não conseguir ficar lá. Não se tem muitas escolhas, ou você se envolve na guerra ou sai do país. Escolhi o Brasil porque abriu portas para ajudar a gente. O Brasil tem coisas muitas lindas!”, revelou Hayan Aldaas.

“Queria morar em um lugar mais tranquilo. Escolhemos João Pessoa por ser uma cidade muito linda, segura e tem crescimento”, acrescentou. Ele está morando com um irmão, na Capital, vendendo artesanato sírio e iniciando na área de cosméticos. Algumas peças foram expostas no evento.
 
Recomeço

Já Aiza Mercedes, está com mais quatro pessoas da família na Aldeia Infantil SOS, em João Pessoa. A entidade já acolheu 140 venezuelanos desde agosto passado. Em um novo país, a família de Aiza ganhou uma nova integrante, um novo incentivo para lutar. “Minha neta nasceu”, comemorou, cheia de esperança. Nessa quinta-feira, a professora viveu mais uma experiência. Participou da segunda mesa de discussão do simpósio e contou um pouco da sua história. Novas experiências e mais uma lição: é possível recomeçar.
 
Cursos

“A Superintendência do Senac na Paraíba já garantiu que o leque de cursos que a instituição oferece, em diversas áreas, será ofertado, de forma gratuita, aos migrantes. Eles serão inseridos nas turmas em áreas diferentes, de acordo com o interesse e o perfil de cada um”, informou o procurador-chefe do MPT-PB, Carlos Eduardo Lima, durante a sua apresentação, nessa quinta-feira, na mesa de abertura do simpósio.

Ele participou da primeira mesa de discussão com o tema “Política Migratória e Direito ao Trabalho”. Segundo ele, além da capacitação mais voltada para o mercado de trabalho, esse projeto também prevê a inclusão social.
 
UFPB

A professora da UFPB Ana Berenice informou que, no próximo mês de maio, será aberta uma nova turma para um Curso de Português voltado para refugiados e migrantes, no campus I da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa. Mais informações podem ser obtidas no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas - DELEM. (Horário de atendimento: 7h às 19h de segunda a sexta-feira. Telefone 3216-7402. http://www.cchla.ufpb.br/dlem)
 
O evento

O Simpósio “Refugiados e Migrantes na Paraíba: Como Acolher e Integrar?” será encerrado hoje, no auditório do Ministério Público Federal da Paraíba, em João Pessoa. Na manhã de ontem, o auditório lotou. Mais de 100 pessoas participaram, a maioria de universidades, além de representantes de diversos órgãos e instituições que trabalham com a temática. Houve duas mesas de discussão. A primeira abordou o contexto da Política Nacional Migratória e de Refúgio, abordando aspectos históricos, do direito do trabalho e da gestão migratória em nível local.

No segundo momento, foram apresentadas experiências locais de atenção a migrantes e refugiados, com destaque para informações sobre os fluxos migratórios no Estado e as experiências da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Humano, da Universidade Estadual da Paraíba, da Coordenação Nacional do Serviço Pastoral dos Migrantes.

Participaram da mesa de abertura do simpósio João Akira Omoto (representante da Rede Nacional de Capacitação, que coordenou os trabalhos); José Godoy (procurador do MPF-PB); Sergio Rodrigo Castro Pinto (procurador-chefe substituto do MPF-PB); Carlos Eduardo de Azevedo Lima (procurador-chefe do MPT-PB); Edson Júlio de Andrade Filho (defensor público-chefe da DPU-PB); Maritza Farena (representante do Serviço de Proteção a Migrantes no Nordeste, Pastoral do Migrante e UFPB); Givaneide Nunes da Silva (secretária estadual do Desenvolvimento Humano), além de Dennis Larsen (representante do Unicef) e Hugo Lorenzetti (representante do Itamaraty no Nordeste).

“O que os migrantes precisam é de acolhimento e assistência”, resumiu a professora Maritza Farena.
 
Atuação em rede

As atividades são realizadas pela “Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes” composta pela Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU), a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a Organização Internacional para as Migrações (OIM), a Conectas Direitos Humanos, o Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), a Defensoria Pública da União (DPU), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a Missão Paz e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

João Akira destacou que esta é a sétima atividade do projeto “Atuação em rede: capacitação dos atores envolvidos no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes no Brasil”.

Ele agradeceu às instituições parceiras, lembrando que edições semelhantes já foram realizadas em Belém (PA), Manaus (AM), São Paulo (SP), Boa Vista (RR) e Porto Alegre (RS), capacitando mais de 1,5 mil pessoas.

Saiba mais sobre o projeto em http://escola.mpu.mp.br/h/rede.
 
Serviço:

- UFPB - Departamento de Letras Estrangeiras Modernas - Telefone: 3216-7402.
- Centro de Educação Profissional/Senai/João Pessoa - Telefone: 3214-2330.
- Fundação Cidade Viva/João Pessoa - 3041 7471
- UEPB -3223-1128/3244-2555 -Campus João Pessoa

Assunto(s)
Promoção da Igualdade,Trabalho Escravo
MPT na Paraíba - Tel. (83) 3612-3119 - Email: prt13.ascom@mpt.mp.br
Conteúdo Complementar
${loading}